“All Human, All Equal” – slogan deste ano para o Dia dos Direitos Humanos

| Criado em

“O nosso mundo está numa encruzilhada.

A pandemia da Covid-19, a crise climática e a expansão das tecnologias digitais a todas as áreas das nossas vidas criaram novas ameaças aos direitos humanos. 

A exclusão e a discriminação são galopantes.

A esfera pública está a encolher.

A pobreza e a fome estão a aumentar pela primeira vez em décadas. 

Milhões de crianças estão a perder o seu direito à educação.

As desigualdades agravam-se.

Mas podemos escolher um caminho diferente.

Há 73 anos, a Assembleia Geral das Nações Unidas adotou a Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Os princípios estabelecidos nesta simples Declaração continuam a ser a chave para a realização de todos os direitos humanos – civis, económicos, culturais, sociais e políticos – para todas as pessoas, em todos os lugares.

A recuperação da pandemia deve ser uma oportunidade para expandir os direitos humanos e as liberdades e reconstruir a confiança.

Confiança na justiça e na imparcialidade das leis e das instituições.

A confiança de que uma vida digna está ao nosso alcance.

Fé de que as pessoas possam ter um tratamento justo e resolver os seus problemas pacificamente.

As Nações Unidas defendem os direitos de cada membro da nossa família humana.

Hoje e todos os dias, continuaremos a trabalhar pela justiça, igualdade, dignidade e direitos humanos para todos.

Feliz Dia dos Direitos Humanos.” (discurso do Secretário Geral da ONU)

 

Em 2018, no 70.º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, o novo século revelava ainda muito por fazer no âmbito dos Direitos Humanos, os novos desafios decorrentes da Pandemia por Covid-19 e o seu impacto na pobreza, insegurança e violência, designadamente na América Latina e o Caribe, a região mais desigual do mundo que, a par de uma crise socioeconômica se depara com 30,3% das mortes causadas por coronavírus no mundo (mas que corresponde apenas 8,4% da população mundial), revelam ainda maiores desigualdades.

O deslocamento em massa da população nesta zona atingiu níveis históricos em 2021. De acordo com o Centro de Monitoramento de Deslocamentos Internos, Brasil, Cuba, Guatemala e Honduras estão entre os 25 países do mundo com o maior número de novos deslocamentos por desastres ou conflitos em 2020.

Ainda há muito a fazer neste virar do século.

All Human, All Equal” é o slogan deste ano para o Dia dos Diretos Humanos.

Nesse sentido, a APROCES convida os colegas interessados nesta temática a lerem o livro Direitos Humanos – O que está por fazer no século XXI, da autoria de Teresa Pina, que se apresenta como uma agenda de direitos humanos para o novo século.

A APROCES